Uma das artistas revelação dos últimos anos, Sigrid deu uma entrevista para o Entertainmente.ie sobre o novo single “Don’t Feel Like Crying” e como ela se mantém sã em turnê pelo mundo.


Entertainment.ie é um site irlandês com base no centro da cidade de Dublim. O site fornece as últimas notícias e análises dos mais recentes programas e filmes para TV e Cinema. Também fornece informações sobre comédia, festivais e shows de teatro e shows na Irlanda.

Entrevista

O novo single é sobre o quê?
Sigrid: “Don’t Feel Like Crying” – é sobre passar por um término… isso pode ser difícil. Mas também é uma música positiva. É sobre pensar em como você poderia se recompor. Apenas pense – siga em frente, tente pensar positivo. Não ajuda nada se você deitar e chorar; isso não vai melhorar a situação. Você só quer sair e se divertir com os amigos, é essa a mensagem que o single quer trazer.

O quão ansiosa você está para o lançamento de ‘Sucker Punch’?
Sigrid: oh, muito. “Don’t Feel Like Crying” é uma das músicas do álbum, e eu estou muito orgulhosa. Obviamente essa é um das… que eu chamaria “canção puramente pop” do álbum, mas eu posso prometer que haverão várias coisas diferente no ‘Sucker Punch”. Terá músicas pop peculiares e honestas, e acho que essa seja uma mistura muito boa. É um álbum pop que está por vir, mas acho que “pop” é um termo muito abrangente e eu não faço apenas uma das coisas do lado do pop, quero fazer tudo o que existe em meio termo. Sim, estou muito ansiosa!

Já ouvimos a sua música favorita do álbum?
Sigrid: ah… Na verdade eu acho que “Don’t Feel Like Crying” é uma das minhas favoritas de todos os tempos, eu amo essa música. Eu amo mesmo e me diverti muito escrevendo ela. Mas tem uma outra também, que estará no álbum – e é completamente diferente.

Então, Sigrid, como você é da Noruega, um dos países nórdicos, você já teve a chance de se encontrar com alguma das grandes cantoras tipo Robyn, Lykke Li, Bjork, etc?
Sigrid: oh! Não encontrei nenhuma dessas, apesar de eu amar a música delas. Acho elas brilhantes, e claro elas têm sido uma grande inspiração para mim quando eu estava crescendo. Minha mãe é uma grande fã da Bjork. Mas eu já me encontrei com outras cantoras. Me encontrei com a
MØ da Dinamarca, ela é maravilhosa, eu amo as músicas dela; ela também é uma pessoa muito muito legal. Eu conheço bastante a Astrid S, ela é norueguesa. Ela é ótima, amo o novo single dela. Off Bloom são muito bons também… Não me encontrei com a Tove Lo ainda.

O que tem nos países nórdicos para serem produzidos tantos talentos assim?
Sigrid: para ser honesta eu não sei. Eu já até pensei nisso antes… Eu acho que ter o inglês como nossa segunda língua deve ter alguma influência nisso. Crescemos com muitas coisas da cultura inglesa e da americana, tipo quando eu era mais jovem tinha muito MTV, iTunes, e depois teve o Spotify. Eu acho que por termos o inglês como segunda língua acabamos indo primeiro na melodia antes da letra. Pelo menos para mim, acho mais fácil ir primeiro na melodia, lá tem os ganchos vocais, a minha coisa favorita é criar ganchos vocais. A letra é muito importante para mim, tudo o que escrevo precisa ter um significado. Mas eu sempre escuto a melodia primeiro, é assim que o meu cérebro funciona.


Como está o cenário musical da Noruega agora?
Sigrid: está muito bom. Todo mundo antes de mim já tem feito muitas coisas diferentes, tipo o cenário musical para o metal é maravilhoso na Noruega. O cenário para o rock, música eletrônica, rap… Tem tanta coisa boa vindo por lá. Tem um cenário muito bom de rap que se mistura com pop com algumas influências do rock orgânico – é muito interessante.

Então você está apenas dominando tudo.
Sigrid: Não sei. Mas tem muita coisa boa para vir, estou muito animada com isso.

Você tem vindo para a Irlanda várias vezes nos últimos anos – o que tem no público irlandês que faz você sempre querer voltar?
Sigrid: é um dos meus países favoritos das turnês, eu amo estar aqui. Eu acho todo mundo aqui amigável, acho que é o país em que me sinto mais acolhida. Você apenas está aberto para novas pessoas, e sinto que sempre tenho uma boa conversa com as pessoas daqui também. Eu também acho que me apaixonei pela Irlanda quando estive em Donegal para filmar o Other Voices. Eu tive um ótimo momento, e aquela equipe era uma equipe pequena que tomou conta da gente tão bem. Isso foi tipo no meio do nada mas foi um dos cenários naturais mais bonitos que já vi. Fizemos uma sessão acústica em uma cozinha por algum motivo estranho, nos apresentamos em uma igreja… foi simplesmente maravilhoso. Então eu encontrei aquela equipe novamente no Electric Picnic, foi para um show secreto com capacidade de apenas 50 pessoas, foi um dos melhores momentos que já tive. Eu até ganhei um whiskey com o meu nome escrito! Então tivemos um outro show no Eletric Picnic, que foi ótimo. Tenho um vídeo meu me apresentando com “Strangers” e foi brilhante. E na verdade… uma das músicas do ‘Sucker Punch” foi inspirada nesse show.

Você teve um 2018 maravilhoso, quais são os planos para 2019?
Sigrid: turnê. Estaremos de volta em Dublim para o show na 3Arena em novembro, mas antes disso eu farei o festival Sea Sessions, estarei na turnê com o The Coonas, com o George Ezra, e com o Maroon 5, e então vários festivais no verão… e algumas coisas que não posso falar.

James Blake recentemente disse que a saúde mental de um artista que está em turnê é algo extremamente importante. Você sai bastante em turnê, e sairá também nesse ano – o que você faz para garantir que você ficará bem?
Sigrid: é definitivamente algo para se preocupar, fico feliz que as pessoas estão falando mais sobre isso. Porque é muita pressão. Pode ser muito estressante, tem que acordar várias vezes muito cedo, frequentemente você não dorme o suficiente. Mas acho que minha banda tem as pessoas mais importantes para mim. Eles são reais, e são uns dos meus amigos mais próximos. E eu amo como eles são uma mistura de tipo, não dão a mínima com o que está acontecendo, não importa o que é, eles são sempre os mesmos. Estamos fazendo isso porque amamos música e somos um grupo de amigos que ama sair juntos… Outra coisa que é importante é dormir o suficiente! É muito importante. Se eu não dormir o suficiente eu fico temperamental. E também, dias de folga são dias de folga. E é fácil entrar na onda e continuar no fluxo, trabalhando, trabalhando e trabalhando, é muito importante tirar um tempo de folga. Não vou fazer isso só por 2 anos, vou fazer isso por muito, muito tempo. É tipo uma maratona, não uma arrancada. E estou tão animada pelo meu álbum de estreia, espero que seja o primeiro de muitos.

Você tem algum conselho para as pessoas de cidades pequenas da Irlanda que estão confusos e querem entrar no mundo da música? 
Sigrid: eu penso por mim, ter vindo de uma cidade pequena na Noruega foi uma vantagem. Eu não tinha gravadoras em frente a minha porta. Tive a oportunidade de trabalhar em coisas por conta própria por um longo tempo. Foi um processo bem mais lento, mas para mim é bem legal. Eu também dei uma pausa da indústria da música na época do ensino médio, para focar na minha educação. Quando se trata de música, eu acho que você tem tempo, sempre tem tempo. Você nunca deve apressar as coisas, sempre ter qualidade no que você faz, e somente lançar algo que você ame. Porque promover coisas que você não gosta deve ser horrível. Sou firme em minhas opiniões, meu time deixa eu controlar o que eu lanço, isso é ótimo. Mas meu conselho seria para você ir devagar, em seu tempo, não se apressar em nada. E sempre tire dias de folga! E também se divirta. Isso pode ser bem sério, todo esse mercado da música, e é um emprego, isso é algo para ser lembrado também.

Você tem alguma série favorita?
Sigrid: ohh… Hmmmm… “Big Little Lies” é uma das minhas favoritas, “A Rainha” e “Mad Men” também. Mas se estamos falando de filmes é “Senhor dos Anéis” – Eu amo fantasia. Eu gosto muito de “Guerra nas Estrelas” e “Harry Potter” também.

Tem algo que você está louca para assistir nesse ano?
Sigrid: oh sim. “Fronteiras do Universo” nova série da BBC baseada nos livros de “A Bússola de Ouro”- vou assistir ela toda! Eu amei “Nasce uma Estrela” esse ano, as músicas são tão, tão boas. Também teve um filme biográfico norueguês sobre a Sonja, patinadora artística (‘Sonja Henie’),
vocês têm que assistir.

“Sucker Punch” será o álbum de estreia da Sigrid e está previsto para ser lançado no dia 08 de março de 2019.

“Don’t Feel Like Crying” está disponível para download e streaming nas plataformas digitais: https://sigrid.lnk.to/DFLCTW .


Quer conferir a matéria na língua original? Clique aqui. 

Siga o Portal Sigrid Brasil para não perder nenhuma novidade! Facebook | Twitter InstagramYoutube


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.