A cantora norueguesa Sigrid conversou com a Newsweek sobre fazer música, que é algo “pessoal”. Sigrid se apresentou no Panorama Music Festival no último dia 28 de julho de 2018. Confira a entrevista:


Foto: Francesca Allen

 

Conforme o clima esquenta a cada ano, amantes de música em toda a nação preparam-se para o retorno da temporada de festivais. Enquanto eventos da tendência como Coachella e Lollapalooza provam ser estabelecidos, o relativamente ecológico Panorama Music Festival está programado para chegar em Nova Iorque na sexta [27 de julho].

Panorama, com três dias de atrações, apareceu primeiramente em 2016. Desde então o festival conseguiu nomes de destaque incluindo Janet Jackson, The Killers e The Weekend somente para o evento de 2018. Contudo, há outros artistas fora dos atos principais que valem a pena assistir. Entre estes Sigrid, uma cantora norueguesa fazendo um nome para sí mesma na música pop.

Foto: Julia Drummond

Nascida Sigrid Solbakk Raabe, a cantora de 21 anos é uma artista para assistir. Após lançar seu single de estreia “Don’t Kill My Vibe” em 2017, a canção rapidamente ganhou atenção internacionalmente. A música atraiu mais de 34 milhões de streams no Spotify até agora. Desde disso ela lançou dois EPs “Don’t Kill My Vibe” de 2017 e “Raw” de 2018 – com faixas esbanjando um viciante pop acompanhado de letras fortes e incrivelmente honestas. Seus vídeo clipes, incluindo “Strangers” e “High Five”, combinam bem com seu frescor. Eles geralmente mostram tomadas focadas na cantora junto com seus distintos vocais antes de botar para fora seus passos de dança característicos. Sigrid está pronta para assumir a indústria da música, mesmo que isso traga desafios ao longo do caminho.

“Quando eu crescesse eu queria ser qualquer outra coisa [ não uma cantora]”

Sigrid falou para a Newsweek.

“Eu acho que eu sempre meio que quis ser uma musicista, mas nunca ousei dizer em voz alta porque nunca pensei que fosse possível. Eu queria ser professora, advogada, médica – queria ser muitas coisas enquanto crescia. Eu comecei a querer ser musicista no Ensino Médio.”

Música tem sido uma parte da vida de Sigrid a partir de sua infância. Com 7 ela começou a tocar piano. Mas ela não começou a cantar até os 13. Durante seu primeiro ano do Ensino Médio ela escreveu sua primeira música. Ela disse que escrever a letra dessa canção a permitiu perceber que música era “mais do que só um hobby.

Ao ouvir músicas da Sigrid a audiência pode dizer que ela não tem medo de ser pessoal. Por trás das músicas mais animadas estão letras que refletem momentos anteriores de sua vida. “Don’t Kill My Vibe” por exemplo detalha uma experiência negativa que ela teve com um produtor após uma colaboração mal sucedida.

“Sou inspirada por tudo – tudo ao redor de mim. Geralmente começo com algo pessoal. Tento lembrar de memórias de dois dias atrás ou um ano atrás ou mais do que isso e então eu tento escrever sobre o que senti nessa época. Aí eu tento escrever sobre isso o mais universal possível para que possa ser similar para outras pessoas”

Sigrid explica seu processo de escrita.

“Sim, elas são pessoais, mas é como contar uma história. Eu sou uma escritora.”

 

Sigrid tem um ano agitado pela frente. Depois de sua apresentação no sábado ela está planejada para continuar fazendo aparições no circuito de festivais. Ela também está agendada para embarcar em uma turnê europeia no Reino Unido em novembro. Em meio a isso ela planeja continuar trabalhando no seu primeiro álbum.

“Vai sair em algum momento”

ela contou à Newsweek.

“Estou trabalhando nisso no momento. Eu tento não me apressar quanto a isso. Será lançado quando eu terminar, mas eu amo cada música que está nele.”

 

 

Matéria original em, em inglês, aqui.

Traduzida por: Jéssica Cardoso – Equipe PSBR


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.